Buscar
  • Miguel Fernández

Alternativas e Decisões

Quem me contou esta foi o excelente colega e amigo José Eduardo W. Cavalcanti (Engº Químico especialista em bio-quimica da água, empresário bem sucedido e ativo colega nos meios profissionais de SP: Instituto de Engenharia, CREA, ABES, além de autor de excelentes artigos e livros):


Por volta de 1972 o Engº Constantino Arruda Pessoa era consultor da SANESP, e os escritórios eram em um prédio na Av. Angélica mais perto da Consolação.


Na hora do almoço, houve um problema com uma secretária da SANESP que não chegou a ser atropelada, mas foi derrubada por um carro ficando estendida no asfalto no meio da Av Angélica.


Ela queria se levantar mas apareceram:


a) uns que aconselhavam a que ficasse deitada até a ambulância chegar pois podia estar com ferimentos internos e qualquer movimentação poderia ser fatal,


b) já outros queriam leva-la o mais urgente possível a um hospital para ser atendida pois, diziam os dessa corrente, qualquer demora poderia ser fatal!


c) havia até alguns (a vítima incluída) que achavam que não era nada e devia se levantar e não atrapalhar o trânsito, como diria Chico Buarque.


d) Um quaro grupo, formado por advogados e políticos, queriam que a senhora lhes assinasse uma procuração para processar 01: o dono do carro, 02: o motorista do carro, 03: o fabricante do carro, 04: o engenheiro que fez a Av Angélica, caso não tivesse ART, 05:a PREFEITURA porque permitia que os carros circulassem aceitando os riscos, etc.

Enfim, cada um dava um palpite ligeiramente diferente e chegou a haver um empurra-empura com alguns querendo impedir “na marra” que a senhora se levantasse enquanto outros queriam levanta-la, também “na marra”. E o trânsito parado...

Vendo aquilo, o Constantino com a malicia de sempre e um sorriso nos lábios diz em voz alta: “muitos sanitaristas e ambientalistas dá nisso: várias alternativas e nenhuma decisão!!!”


Profecia (ou premonição?) da qual estou rindo até hoje....


O Constantino também era um grande frasista. Atribui-se a êle o dito de que

“A UNIDADE MAIS IMPORTANTE DE UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO É O BY-PASS” (verdade que, por empáfia, poucos se animam a dizer)


2.140 toques, incluindo os espaços

Miguel Fernández, 26dez2017

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo